O engano da assim chamada liberação feminina

Claro, o corpo da mulher é diferente. O Senhor fez as mulheres para ser mães, e aparte da diferença física, existem também diferenças temporais e mentalidades condicionadas. Claro, a educação, o meio ambiente, e a ambição podem mudar muitas coisas ao respeito. Entretanto, a liberação da mulher não consiste em torná-la um homem, ou em tornar aos homens mulheres. Este é o grande mal entendido das mulheres modernas. Elas pedem que se lhes dão as mesmas oportunidades na sociedade, mas se esquecem de sua dependência total (ao igual que os homens) da condição kármica de seu nascimento, e dos deveres que traz consigo um compromisso espiritual. As mulheres tem por natureza uma mentalidade apta para criar a seus filhos. Todos sabemos que os homens também podem trocar fraldas, mas nem com uma perfuração vai obter uma gota de leite de seus seios. Em igualdade adquirida por treinamento deles não é melhor do que as mulheres, mas bem elas são domesticadas como os tigres em um circo que se mostram bem adaptáveis aos truques de seu domador. Similarmente as mulheres as tem em seus desfiles de beleza expondo suas nádegas a todo tipo de sem vergonhas, ou em qualquer outra “adaptação” moderna como soldado, construtora, ou executiva com seus filhos em um jardím impessoal, para ganhar mais dinheiro, comprar mais coisas do consumo, ser mais independentes do marido, ter direito a “escapadas” como os desobedientes homens, e ter direito de matar a seus filhos não desejados. Tudo isto em nome da liberação da mulher. Parece mais um programa de homens terríveis que utilizam seus meios de comunicação para causar esta inveja nas mulheres, prometendo-lhes soluções contra o abuso de maus homens, mas o resultando em uma condição na que eles possam explorar e abusar das mulheres muito melhor. O pior é que as mulheres somente se lhes vão a respeitar enquanto tenham corpos sedutores. E este “respeito” vai somente pela carne. Nos fazem pensar que assim as mulheres tem mais respaldo do governo. Mas com a tendencia da cultura materialista é vê-las como objeto da gratificação nada mais, então em suas casas e trabalhos, elas estão completamente frustradas. Algumas mulheres resultam exitosas na política ou nos negócios. Para a cultura Védica isto não representa nenhuma surpresa. Primeiro, porque existem grandes personalidades em corpos femininos na cultura Védica. E mais, as mais próximas de Deus no mundo espiritual são as gopis, as pastorinhas de vacas. A projeção de uma pessoa neste mundo, depende sobre tudo de sua ambição e a facilidade de preparar-se ao respeito. Mas não esqueçam que a falta de oportunidades iguais não é coisa de sexo, é coisa de Karma. Pode dar a uma mulher pobre uma bolsa de estudos, mas não podes dar a um homem feio a beleza. Talvez como seres humanos queremos melhorar a situação material pelo menos para nos, e quem sabe também para as pessoas em geral. Mas a realidade é que a degeneração da sociedade faz das coisas piores, e as mulheres e sua situação de vida é somente um exemplo ao respeito. Temos que reestruturar nossos valores, começando com a situação de nossas famílias, pois a família é a unidade social menor e mais importante. O materialismo há possuído as pessoas, e há muita escassez de compaixão para com os demais seres. Então quando as mulheres fazem desfiles a favor do direito de acabar com as crianças que vivem abaixo de seus corações, já não se surpreende a ninguém. Nem de que mantêm os pobres para tirar-lhes os órgãos para repor o dos ricos, nem de que mantêm milhões de animais para agradar seu paladar, a pesar que estão arruinando a ecologia do planeta, e destruindo sua própria saúde. Falando de paz, as industrias de alimentos asseguram bons ingressos aos poderosos, e uma pequena guerra ainda que possa matar meio milhão de pessoas, serve excelentemente para provar os últimos inventos militares. Então surge uma grande pergunta. O que faz feliz a Deus?, O que faz feliz as mães?, O que faz feliz as crianças? E poderão descobrir assombrosamente que esta felicidade é aquela que faz felizes aos demais. Por este ato a felicidade que me satisfaz, a custo dos demais, é anti-social e inaceitável.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s